Após passeata em apoio “cidadão em conflito com a lei”, tio de Pedro Manobrista é vítima de latrocínio

O ativista de defesa dos direitos de cidadãos em conflito com a lei, meio ambiente e notório defensor do desarmamento civil Pedro Manobrista teve um familiar, seu tio Benedito Manobrista, assaltado à mão armada na noite de ontem.

O fato se deu no exato momento em que o sobrinho da vítima saía de um ato em defesa do direito de cidadãos que cometem crimes portarem armas enquanto estiverem a “trabalho”.

“Tio Benedito, mais conhecido como Tio Ben, havia estacionado o carro pra me buscar na passeata. Quando vinha voltando, o cara apontou uma arma e anunciou o assalto”, afirma.

Ele explica que tentou argumentar com o meliante, mas foi em vão.

“Eu disse para ele: ‘olha aqui, cara, você está mal informado por querer assaltar aqui, já que é proibido portar armas nessa área”, ponderou.

“Ele respondeu que compreendia meu lado, mas não podia fazer nada, pois estava só trabalhando”, revelou Pedro Manobrista.

Ele contou à nossa reportagem que no momento do assalto dois policiais passavam pelo local.

“Quando notei que os policiais iam reagir, gritei logo: ‘não, cara, não reaja não. Nunca se deve reagir a assaltos. Além do mais, sou contra o porte de armas por policiais”.

 

Posts Relacionados

“Vou fugir de novo”, lamenta venezuelano que fugiu para a Argentina

Em Pequim, Mourão se filia ao Partido Comunista Chinês

Bolsonaro oferece Feghali, Rosário e Benedita da Silva em troca de refugiados venezuelanos