Uma ocorrência pouco comum chamou a atenção dos agentes do 1734º Distrito Policial de Lapão Roliço na manhã de hoje.

Um viciado, que não teve a identidade revelada, compareceu à delegacia para se queixar da qualidade do crack que acabara de comprar junto a uma conceituada boca de fumo das imediações.

“Fumei a pedra, mas não fez efeito”, se queixou a vítima.

O delegado titular da delegacia instaurou procedimento, chegando a intimar o traficante para que prestasse esclarecimentos.

Ambos os envolvidos foram liberados logo após serem ouvidos.

“Essa situação envolve direitos do consumidor, então orientei o comprador a procurar o PROCON”, informou o delegado à nossa reportagem.

A vítima, no entanto, acionou um advogado que, por sua vez, realizou notícia crime ao Ministério Público, alegando que a conduta do traficante se enquadra no crime de estelionato, que consiste em auferir vantagem indevida induzindo alguém a erro.

SHARE
Previous articlePetista propõe criar imposto sobre propina e irrita correligionários
Next articleFavelados invadem casa de líder Sem Teto e acabam expulsos pela polícia
Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Numa classificação, seria um super-herói defensor dos… Defensor de nada, Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser. Além do charme, Joselito Müller é um competente jornalista, pioneiro no jornalismo de ficção brasileiro. Foi eleito três vezes consecutivas como um dos maiores filhos da puta da América Latina, além de ter sido indicado para o Pulitzer de reportagem mais escrota em 2013 e 2014.

Deixe uma resposta