O filme clássico do direito Martin Scorcese poderá ganhar uma versão brasileira, caso um projeto apresentado por um cineasta da cidade de lapão Roliço soja aprovado na Lei do Audiovisual.

Com roteiro adaptado pelo cineasta Edilson Edson Edmundo Edinaldo, “Taxista” faz uma releitura da saga de Travis, um desajustado motorista de táxi que, na versão original, arrisca a própria vida para salvar uma jovem meretriz das garras de um proxeneta inescrupuloso.

Na versão brasileira, Travis tem uma pequena frota de táxi e aluga os carros cobrando diária dos locatários.

Ele vê seu negócio minguar com a chegada do Uber em sua cidade.

Ao procurar um candidato a prefeito que, segundo sua análise, tinha potencial para ser eleito, acaba se envolvendo com Bessie, uma cabo eleitoral solteirona, mas ela rompe o efêmero relacionamento com o protagonista ao flagrá-lo vendo pornografia no celular.

Revoltado, sem namorada e cada vez com menos dinheiro, Travis vai a uma feira e compra uma arma, com a qual pretende combater os motoristas do aplicativo Uber.

No final decidimos dar uma modificada, para não ficar muito igual ao roteiro original”, revela o diretor.

Travis se une a um grupo de taxistas que estão apedrejando um carro preto, quando é abordado pela polícia e preso por porte ilegal de arma de fogo.

O projeto ainda vai ser submetido à banca da Lei do audiovisual, mas seus idealizadores estão confiantes no êxito.

Nossa equipe tento falar com Martin Scorcese, diretor da versão original, mas ele se limitou a dizer que não gosta de filme brasileiro.

Deixe uma resposta