Um ato corriqueiro no campi central da Universidade Federal de Lapão Roliço acabou virando caso de polícia na tarde de hoje.

Isso porque o estudante do curso de filosofia, Anastácio Inácio de Araruna, 36 anos, ao pretender “fazer uma presença” numa roda de amigos durante o recreio da aula, apertou um cigarrinho de maconha numa ação da estatal Petrobrás.

“Eu estava sem papel de seda e nenhum de meus amigos tinha, então vasculhei minha carteira e lembrei dessa ação da Petrobrás que eu tinha comprado para investir no ano passado”, disse o jovem.

Ele acabou sendo preso em razão de uma denúncia anônima, uma vez que destruir ações de empresas estatais é crime punido com até quatro anos de detenção.

“Quando vieram me prender eu pensei que era por causa da maconha, mas graças a Jah não era, pois é legalizada aqui na facul”.

Ele foi ouvido e liberado em seguida e deve responder o processo em liberdade.

Deixe uma resposta