Um mal entendido acabou virando caso de polícia no início da noite de hoje na Cidade Universitária de Lapão Roliço.

Isso porque um travesti que não teve a identidade revelada, que outrora conseguiu na justiça autorização de frequentar o banheiro feminino, foi impedido de fazê-lo mediante argumento de ser um estuprador em potencial.

“Todxs sabemos que homens aprendem desde cedo a estuprar. Então independente de ter se tornado travesti depois de adulto, está incrustada na mente do indivíduo e, portanto, sua presença no banheiro feminino é um risco às mulheres”, declarou uma feminista.

O travesti, por sua vez, alegou que a acusação é infundada, pois elx, na verdade, é uma mulher presa no corpo de um homem.

“Ninguém nasce mulher, torna-se. Mas eu, embora tenha nascidx com piroca, sou mulher”, declarou o travesti.

O caso foi levado à delegacia, mas permaneceu sem solução até o fechamento desta matéria.

Ativistas se dividiram entre as opiniões divergentes, o que acabou deixando o delegado confuso.

“Vou sugerir que se faça uma assembleia para discutir o assunto e resolver esse impasse”, declarou o delegado.

1 COMMENT

Deixe uma resposta