BRASÍLIA – Um mal entendido chamou a atenção na tarde de hoje em Brasília, fazendo com que a chefia do BNDES fosse assumida pela ex-candidata à presidência da República, Marina Silva, nome jamais cogitado pelo presidente interino, Michel Temer.

Isso porque Temer havia nomeado para assumir a pasta a pessoa de Maria Silvia, executiva que atuava como assessora especial do prefeito do Rio.

A publicação da nomeação no Diário da União, no entanto, confundiu a ecologista acreana, que ao ler errado, confundiu o nome de Maria Silvia com o seu, Marina Silva.

Eu devo confessar que estranhei ele ter me nomeador, mas como missão dada é missão cumprida, vim assumir o cargo”, declarou Marina exibindo uma cópia do termo de posse.

Ao tomar conhecimento do ocorrido, assessores de Temer tentaram esclarecer o mal entendido, mas já era tarde demais e Marina já havia tomado posse.

Vocês estão querendo me convencer dessa história de confusão com os nomes só para eu ficar no cargo por menos tempo que o Lula ficou na Casa Civil”, disse Marina, que se recusou a desocupar a chefia do Banco.

Temer anunciou, no entanto, que entrará com um mandado de segurança para tirar Marina do cargo, que deverá ser assumido por Maria.

Já pedi à AGU que ajuíze o writ e creio eu que dentro de alguns dias o Supremo deve deferir liminar para que Maria, digo, Marina, deixe a pasta”, declarou o presidente interino.

Estou esperançoso que a ação seja julgada procedente. Ainda bem que o Advogado Geral da União não é mais o Cardozo”, finalizou.

SHARE
Previous articleAlta do dólar – sugestão de alguns locais para suas férias: Syria, Bagdad e Venezuela
Next articleApós recriação do MinC, artistas homenageiam Sarney
Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Numa classificação, seria um super-herói defensor dos… Defensor de nada, Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser. Além do charme, Joselito Müller é um competente jornalista, pioneiro no jornalismo de ficção brasileiro. Foi eleito três vezes consecutivas como um dos maiores filhos da puta da América Latina, além de ter sido indicado para o Pulitzer de reportagem mais escrota em 2013 e 2014.

Deixe uma resposta