BRASÍLIA – Prosseguindo medidas de corte de gastos, nas quais se incluem a demissão de centenas de cargos comissionados, extinção de ministérios e fim do fomento ao importante setor da blogsfera progressista, o presidente interino Michel Temer anunciou, por meio do Diário Oficial da União de hoje, o corte de cento e oitenta e quatro mil duzentos e nove reais e dois centavos destinados à aquisição de remédios tarja preta receitados à presidente afastada, Dilma Rousseff.

Precisamos cortar gastos”, declarou peremptoriamente Temer.

A medida pegou Dilma de surpresa segundo assessores, mas a mandatária afastada não atendeu a imprensa para tratar sobre o assunto.

O ex-ministro chefe da Casa Civil, Jacques Wagner, declarou que a medida é uma clara retaliação a Dilma e ao PT.

Temer, como bom satanista que é, tomou essa medida para tentar comprometer a higidez mental da presidenta, certamente acreditando que com isso ela se tornaria incapaz de praticar os atos da vida civil e, portanto, ficaria impossibilitada de retornar à presidência.”

Temer retrucou ao ex-ministro afirmando que “a ilação é absurda, pois os remédios não farão falta a Dilma, pois há muito tempo que já não vinham fazendo efeito, conforme demonstram suas declarações sobre cachorro oculto, saudação da mandioca etc.”

SHARE
Previous articleSobre a polêmica do doutor sem doutorado
Next articleDupla de Brasileiros afirmam ter encontrado provas definitivas da Teoria da Evolução
Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Numa classificação, seria um super-herói defensor dos… Defensor de nada, Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser. Além do charme, Joselito Müller é um competente jornalista, pioneiro no jornalismo de ficção brasileiro. Foi eleito três vezes consecutivas como um dos maiores filhos da puta da América Latina, além de ter sido indicado para o Pulitzer de reportagem mais escrota em 2013 e 2014.

Deixe uma resposta