O petista André Roberto Alliana, assessor da senadora Gleisi Hoffmann, preso recentemento na cidade de Puerto Iguazú, Argentina, depôs hoje na delegacia e esclareceu os motivos pelos quais atravessou a fronteira para, segundo ele, “pedir propina de um modo criativo e inovador”.

Segundo André, o motivo de ter ido ao país vizinho afanar bolsas de mulheres é que “no Brasil não tem mais o que roubar. O pessoal do primeiro escalão do governo já levou tudo o que tinha de levar”.

Ele lamentou as desigualdades sociais dentro do PT, mencionando a recente declaração do ex-ministro José Dirceu, que afirmou que cento e vinte mil reais por mês é irrisório.

“Eu ia doar parte da grana que consegui auferir na Argentina pra outra vaquinha dele (Dirceu), mas depois dessa declaração eu fiquei me sentindo meio trouxa”, lamentou.

Deixe uma resposta