IDElvis

RIO BRANCO – Anunciada em 16 de agosto de 1977, a morte do cantor Elvis Presley, conhecido pelo epíteto de rei do rock, foi alvo de polêmicas intermináveis.

Após o anúncio do falecimento do artista, surgiram boatos segundo os quais o mesmo estaria, na verdade, vivo e teria forjado a própria morte para, digamos, tirar férias permanentemente.

A lenda ganhou corpo quando, em 1979, um fã de nome não revelado encontrou uma gravação telefônica na qual um homem, que alguns acreditam ser Elvis, estaria combinando detalhes de uma viagem em um avião particular para destino ignorado.

Ano passado foi descoberto uma carta remetida à filha do cantor, Lisa Presley, datada de 15 de maio de 1994, na qual ele desaprova o casamento da mesma com o astro Michael Jackson.

Num trecho da carta Elvis se diz muito decepcionado com o matrimônio e aconselha a filha a desistir de enlaçar-se com o então rei do pop.

O mistério envolvendo a morte de Elvis Presley foi solucionado recentemente. Após anos de trabalho investigativo, nossa reportagem que o rei do rock estava morando no Brasil, mais precisamente no Estado do Acre, no norte do país.

Elvis morava na pequena cidade de Erumanduba do Sul, onde fazia cover de si mesmo nos bares locais. Ele havia se casado com a funcionária da FUNAI, Jussiana Mendes Presley, com quem teve um filho, que atualmente canta na noite rio-branquense, na capital do Estado.

Elvis faleceu no dia 04 de dezembro de 2008, aos 73 anos de idade, mas como levava vida discreta e não revelava sua verdadeira identidade, sua morte não provocou comoção na cidade.

Especialistas em música afirmam que o local que escolheu para terminar seus dias se deu em função do fato de lá, Elvis ser um completo desconhecido. “Lá não tinha nem televisão na época, ninguém sabia quem era ele, então foi possível levar uma vida tranquila e anônima” disse o jornalista Ivan Alberto Sabiá, autor do livro “Yes, Elvis is dead, anda was in Brazil” (Elvis morreu sim, e foi no Brasil), que chega às livrarias em fevereiro do próximo ano.

Após descoberta a verdade sobre os últimos dias da vida de Elvis Presley, o prefeito da cidade de Erumanduba do Sul prestou homenagem ao artista, em inauguração regada às canções inesquecíveis do rei, batizando uma rua das imediações do centro da cidade com o poético nome: Avenida Suíte Carolaine.

SHARE
Previous articleGugu liberato contrata maníaco do parque como assistente de palco
Next articleDesbaratada quadrilha de zoófilos que atuava em pet shops no Rio Grande do Norte
Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Numa classificação, seria um super-herói defensor dos… Defensor de nada, Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser. Além do charme, Joselito Müller é um competente jornalista, pioneiro no jornalismo de ficção brasileiro. Foi eleito três vezes consecutivas como um dos maiores filhos da puta da América Latina, além de ter sido indicado para o Pulitzer de reportagem mais escrota em 2013 e 2014.

7 COMMENTS

  1. Esse é a maior besteira já escrita sobre Elvis Presley que eu pude ler… Qualquer pessoa neste planeta conhece a fisionomia de Presley…Como pode alguém escrever tantas idiotices em um mesmo texto?

Deixe uma resposta