BRASÍLIA – Uma reviravolta surpreendeu juristas renomados de todo o país após a defesa do ex-ministro Paulo Bernardo recorrer da decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal, sob relatoria do ministro Dias Toffóli, concedendo a soltura do petista.

Segundo a defesa de Paulo Bernardo, “após a soltura, Bernardo terá que voltar para sua residência, onde será obrigado a conviver com Gleisi Hoffmann, o que, na prática, é muito pior que a cadeia”.

Invocando dispositivos constitucionais, bem como o Pacto de San Jose da Costa Rica e a Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão, a defesa de Bernardo pretende a revogação da soltura para que ele possa voltar a ser preso.

Só estando na pele dele (Bernardo) para saber a dimensão do sofrimento, que se tornou ainda pior depois que o mesmo saiu da cadeia, pois sua mulher não para de infernizar o coitado, alegando que tal fato poderá tirar-lhe votos nos próximos pleitos”, finaliza o advogado em seu pedido.

O recurso foi remetido ao gabinete do ministro Tóffoli e deverá ser incluído na pauta da sessão na próxima semana.

7 COMMENTS

Deixe uma resposta