Após a prisão de mais um ex-tesoureiro, o Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores lançou uma resolução que determina que o próximo encarregado das finanças partidárias seja escolhido entre presidiários filiados à legenda.

A determinação, segundo nota divulgada pela Direção, “se dá com objetivo de poupar trabalho à polícia”.

O documento ressalta que os candidatos ao cargo devem ser filiados ao PT há pelo menos um ano, deve ter conduta ilibada e estar cumprindo pena no regime fechado.

O documento chamou a atenção de cientistas políticos, que questionaram o fato de função de tal importância poder ser exercida de dentro da cadeia.

Segundo o sociólogo Oswaldo Otávio Osório, “hoje em dia as tecnologias permitem que presos desempenhem esse tipo de função, até porque muita coisa, tal como operações bancárias, podem ser feitas pelo celular”.

A eleição do próximo tesoureiro deve ocorrer no ano que vem.

Deixe uma resposta