PORTO ALEGRE – Flagrada na lista de beneficiados pela empreiteira Odebrecht, a camarada Manuel Dávila, do PCdoB do Rio Grande do Sul, prestou informes junto ao Comissariado do Bureau Político do Comitê Central de seu partido – Secção Brasileira da Terceira Internacional – oportunidade em que esclareceu as distorções divulgadas pelos veículos de comunicação da burguesia.

A lista contendo mais de duzentos políticos que supostamente recebiam dinheiro da Odebrecht foi apreendida pela Polícia Federal na 23ª fase da Operação Lava Jato.

Entre políticos de partidos tanto da oposição, como da situação, se encontram figuras como o Ministro Chefe da Casa Civil Jacques Wagner, o senador Humberto Costa do PT de Pernambuco entre outros.

No referido documento, Dávila é apelidada de “avião” e é feita a indicação do valor de “300”.

Inquirida pelo Secretário Geral de seu partido, Dávila esclareceu que “Eu pensava que ela (a Odebrecht) ia construir o socialismo, já que trabalha construindo obras.”

Manu também rememorou que a Odebrecht foi quem construiu o Porto de Mariel, em Cuba, o que, segundo suas palavras “é uma irrefutável demonstração de que a empresa apoia o socialismo cubano contra o imperialismo norteamericano”.

As declarações da camarada serão apreciadas pelo Comitê Central, que deliberará se a mesma deverá fazer autocrítica ou se receberá uma sanção mais rigorosa, tal como ser degredada para a Sibéria ou passar uma temporada num campo de reeducação.

5 COMMENTS

Deixe uma resposta