WASHINGTON – A ex-estagiária da Casa Branca, Monica Lewinsky, divulgou, na manhã de hoje, uma nota na qual se solidariza com a ex-chefe do gabinete da presidência em São Paulo, Rose Noronha.

O documento foi interpretado por especialistas como uma “ironia”, uma vez que foi divulgado exatamente sete meses após Hillary Clinton ter declarado que “Dilma é um exemplo de luta contra a corrupção”.

Lewinsky afirma, no documento, que “acompanhou as perseguições infundadas sofridas pela Senhorita Noronha, ícone do Cone Sul de probidade no desempenho de suas funções, análogas, porém exercidas por mais tempo que as outrora exercidas pela que ora vos escreve.”

A repercussão gerada pelas declarações de Lewinsky, vários setores da imprensa procuraram o ex-presidente Lula, mas ele se recusou a tratar sobre o assunto, se limitando a dizer que “nunca estive no Salão Oval da Casa Branca”.

Deixe uma resposta