BRASÍLIA – O Ministro da Saúde, Marcelo Castro, confirmou na tarde de hoje o que muitos já suspeitavam desde o fim de semana: contraiu zika e por isso não pode trabalhar desde segunda-feira.

A boa notícia, segundo o próprio ministro, é que, como ele não é mulher, não corre o risco de estar prenhe, o que, confirmou suas próprias palavras, “seria lamentável, pois aumentaria as possibilidades do bebê ter microcefalia”.

O ministro, que na semana passada disse que ia torcer para que as brasileiras contraíssem a zika antes do período fértil, disse que o ministério vai adotar medidas mais radicais contra a disseminação da microcefalia, tais como incentivar o sexo oral e a masturbação.

“O problema não é nem a zika em si, mas a possibilidade das crianças nascerem com microcefalia em razão das mães contraírem a doença no período de gravidez. No meu caso, estou tranquilo, ainda bem que não posso engravidar, mas em breve, quando homens puderem gerar crianças, teremos uma preocupação a mais”.

As declarações do ministro não foram bem recebidas pela comunidade gay em geral, que as considerou preconceituosas e estuda a possibilidade de processar o dito cujo.

10 COMMENTS

  1. Só assim os imortais sentem na pele literalmente o que a população (sofrida, maltratada, faminta, doente e sem esperanças de um futuro melhor) sofre diariamente
    Pena que ele com certeza não preciisou rastejar-se pelos predio sujos quebrados iincardidos sem profissionais sem material para ser atendido

  2. Os trans querem, na verdade, engravidar para poder sentir a incrível sensação de fazer um aborto e, assim, se sentir mulher em sua plenitude…

  3. Ministro, se queres engravidar é só cair na cadeia! Pois, acredito que muitos por lá, terão o prazer de lhe fazer esse favor e a sociedade!

  4. Os transexuais querem ter o direito de contrair Zika, engravidar e dar à luz bebês microcefálicos.

    • Conseguiu ser pior que o ministro na sua declaração… Não entende o que é nascer com microencefalia.. Não sabe como isso é prejudicial ao bebê. Escreveu besteira

Deixe uma resposta