Zona Leste – Em investigação iniciada após uma denúncia anônima, o Ministério Público de SP encontrou provas de que a merenda pública das escolas Estaduais e Municipais de São Paulo foi desviada por 4.937 alunos.

A investigação foi iniciada após uma professora denunciar que muitos alunxs estavam engordando, apesar da escola não estar mais fornecendo a merenda na quantidade devida.

“Alguns alunos obesos chamaram a atenção. O bunda mole do Pedrinho A. estava engordando a cada dia, a olhos vistos.”, declarou uma professora com camisa vermelha que não quis se identificar.

“Sim, a gente estava comendo mais do que devia. Eu mesmo peguei um hot-dog com duas salsichas e molho extra, estou muito arrependido.” disse Miguelzinho, aluno da terceira série.

“Me arrependo completamente de minhas corrupções, já tomei suquinho indevidamente, furei a fila da merenda 3x seguidas e até subornava a tia da merenda para me colocar um pãozinho extra”, confessou Mariazinha L.

O secretário de Segurança de SP está pensando em sugerir ao Congresso que permita a prisão e talvez tortura desses menores, uma vez que a ressocialização através da educação não funcionou.

“Alguns políticos se viram responsáveis por essa criançada e pensando no futuro deles, desviaram o dinheiro das merendas para evitar uma tragédia de obesidade no futuro.”, comentou a professora que fez a denúncia.

“Estamos falando de indivíduos / alunos de alta periculosidade, representam grave ameaça a sociedade, que devem ser retirados do convívio com a sociedade para que abusos como esse não se repitam”, diz um funcionário público de alto escalão que não quis ser identificado.

As declarações do servidor, no entanto, foram interpretadas como gordofóbicas pelos estudantes.

Deixe uma resposta