SIERRA MAESTRA – A Camarada Manuela D’ávila, que mais uma vez despertou o ódio da burguesia esta semana por ter, sem qualquer dolo ou culpa, modificado a letra no hino nacional brasileiro, se explicou ao proletariado por meio de nota previamente aprovada pelo Departamento de Agitação e Propaganda do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (Secção Brasileira da Terceira Internacional Comunista).

No referido documento, avião Manu faz uma autocrítica pública por ter sido desatenciosa e confundido o hino brasileiro com o cubano.

A luta socialista é internacional e, justamente por conta do internacionalismo proletário, nos habituamos a entoar hinos de países amigos, nos quais a revolução popular já triunfou e, claro, também conhecemos de cor o hino da Internacional Comunista. Na ocasião do vídeo que está gerando polêmica, eu me confundi e acabei misturando as letras do hino brasileiro e do cubano.”

Apesar de esclarecido o incidente, muitos porta-vozes dos setores mais reacionários da burguesia nacional e internacional têm insistido em dar visibilidade ao caso, o que só pretende reforçar paradigmas oriundos da sociedade de classes, na qual a burguesia explora o proletariado.

Deixe uma resposta