PYONGYANG – O excêntrico líder norte-coreano, Kim Jong-un, fenômeno de popularidade no seu país e na galáxia, onde tem cem por cento de aprovação popular, declarou na manhã de hoje ao nosso correspondente em Pyongyang que “caso a camarada Dilma sofre impeachment, pode vir para cá.” Questionado sobre o motivo do convite, Kin, que está montando seu harém particular afirmou que “eu tenho coragem de encarar Dilma”.

A declaração repercutiu positivamente no mercado, fazendo com que a bolsa de valores de Pyongyang fechasse em alta de 98,6% na tarde de hoje, graças às ações do setor de sex-shop e cintarálhos.

Kim, horas mais tarde, declarou que sua afirmação anterior “não significa que sou a favor do impeachment.Nessa eu concordo com o FHC, impeachment é golpismo.”

“Apenas disse que se ocorrer (o impeachment), ela pode vir que será bem recebida”, disse o líder, que na ocasião inspecionava o trabalho de censores que discutiam se permitiriam a veiculação da versão de uma música brasileira nas rádios locais, cujo refrão repete a frase “Sou um gordinho gostoso, gordinho gostoso, gordinho gostoso”, concluiu o líder norte coreano.

A presidente Dilma disse que tomou conhecimento da proposta, mas não vai se pronunciar sobre o assunto, ao menos por enquanto.

Fonte: O Globo
Garanhão de Pyongyang: Kim Jong-un decide formar o seu próprio harém

Deixe uma resposta