BRASÍLIA – Alvo de corriqueiras campanhas de difamações nas redes sociais, a eminente militante trotskista do PSOL – Partido Socialismo e Liberdade (sic), Luciana Genro, publicou hoje me sua página no Facebook que avalia a possibilidade de processar o famigerado site supostamente humorístico joselitomuller.com.

O fato se deu após o mesmo publicar que ela, que é declaradamente apoiadora do MST e da reforma agrária, teve uma de suas fazendas invadidas por sem-terras.

Luciana escreveu em sua página o seguinte:

(…) um site, supostamente, de humor, idiota e direitoso fez uma “matéria” sobre uma suposta ocupação do MST em uma suposta fazenda minha. (tudo sic)

Quero dizer que EU NÃO TENHO NENHUMA FAZENDA, portanto ela não poderia ser ocupada.

O trecho acima, por si só, desmascara o autor da difamação, que lesionou a honra da filha de Tarso ao afirmar que a mesma teria mais de uma fazenda, se enquadrando, deste modo, na condição de membro da classe burguesa.

A passagem que chamou a atenção no post de Luciana, no entanto, é aquela que diz o seguinte:

Minha declaração de bens está disponível no site do TSE. Minha única propriedade é a casa onde eu moro com meu marido e filho.

 

Aparentemente inofensiva, a declaração causou polêmica no mundo gay, haja vista que, até então, ninguém sabia que Luciana tinha uma família “heteronormativa tradicional”.

Quase que imediatamente após a publicação do post, milhares de ativistas LGBT’s passaram a criticas a ex-deputada, acusando-a de “promover a heteronormatividade”.

Um usuário do Twitter chegou a escrever que

“Luciana é poser. Diz defender os negros, mas é branca, diz defender os sem teto mas confessou que tem uma casa, diz defender os gays, mas tem um marido (do sexo masculino) e umx filhx”

Analistas analisam que a situação envolvendo o suposto site de humor, supostamente foi ruim para a imagem da gaúcha mais pelo que ela própria teria escrito do que pelo conteúdo da suposta piada reacionária.

“Do mesmo modo que algumas feministas não admitem que homens do sexo masculino as apoiem, por não sentirem na pele toda a opressão do patriarcado, alguns ativistas gays não admitem que heterxs, que nunca sofreram a homolesbotransfobia na pele seja ativista pro-gay”, declarou em nota a Associação dos Pederastas de Brasília.

Luciana, atualmente sem mandato, afirmou que ia esclarecer pelo Twitter o  que chamou de “mal entendido”.

Ela revelou também que pretende sugerir à bancada do PSOL na câmara um projeto que proíba piada direitosa de ter graça.

Leia a íntegra da publicação de Luciana Genro aqui.

2 COMMENTS

  1. A Luciana Genro apoia o governo da Venezuela. E o pior é que o regime venezuelano tem uma política econômica homofóbica. A falta de papel higiênico dificulta a limpeza dos gays após as relações sexuais.

  2. Qual é a posição dos sites de humor idiotas e esquerdosos sobre esta revelação bombástica ?

Deixe uma resposta