BRASÍLIA – O Ministério da Educação surpreendeu o universo da filosofia esta semana ao lecionar, em um livro de filosofia para alunos do ensino médio, que a dialética foi “inventada” pela professora da USP Marilena Chauí.

De acordo com a publicação, “Zeno de Eléia era apenas um torcedor do Corinthians viciado em baralho e a dialética é uma criação da brasileira, assim como o futebol e a bunda”.

O livro dedica um capítulo ao tema, e chega a dizer que “a dialética marxista foi criação de Marilena Chauí, que é mencionada em várias obras de Hegel e de Feuerbach como a maior pensadora dos trópicos.”

A publicação gerou polêmica nos meios filosóficos e futebolístico, no qual vários pensadores afirmaram ser inverídica a afirmação sobre Zeno de Eléia, que, na verdade, não gostava de futebol.

2 COMMENTS

Deixe uma resposta