Em um pronunciamento emocionado, proferido na tarde de hoje na sessão plenária da câmara Federal, a deputada comunista Jandira Feghali, PC do B-RJ, afirmou que os “camaradas” do Partido-Frente de Libertação Popular Grupo Marxista Revolucionário (DHKP-C), que sequestraram o promotor Mehmet Selim Kiraz no Palácio de Justiça em Istambul, “deturparam Marx.”

A ação do grupo terminou com a morte de todos os seus integrantes e do refém, que chegou a ser hospitalizado, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Jandira disse que “os caras traíram o movimento, pois quiseram substituir a ação das massas, guiadas pela vanguarda do proletariado, por um ato isolado que acabou com a morte de vários valorosos combatentes de nossas fileiras”.

Jandira disse também reconhecer que “a intenção da ação foi a melhor possível, mas não posso deixar de registrar o equívoco. Volto, a dizer, deturparam Marx e infelizmente, tomaram no rabo.”

No momento mais inflamado do discurso, a deputada, empunhando um exemplar de “A revolução proletária e o renegado kautsky” – que afirmou ter sido impresso em Havana, na época do regime militar e introduzido em território brasileiro clandestinamente por agentes do serviço secreto soviético, afirmou: “Eles deveriam ter lido ao menos as orelhas desse livro aqui”, e limpou o nariz num lenço vermelho que trazia consigo.

O grupo sequestrou o promotor de Justiça para reivindicar a confissão ao vivo dos policiais suspeitos de matar um menor durante as manifestações de 2013.

Confira aqui a notícia sobre o sequestro.

Deixe uma resposta