Os setores mais conservadores e reacionários da sociedade frequentemente fazem indagações sobre o fato de ser raro ver um militante do Partido Socialismo e Liberdade ( sic ) que não possua um Iphone de última geração.

Os chamados ” direitosos ” dizem haver uma contradição no fato de que membros proeminentes da esquerda, como Michael More, Hillary Clinton, Chico Buarque, Gregório Duvivier ou Lula serem milionários e ao mesmo tempo condenarem os ricos.

Na tarde desta terça feira Gregório Duvivier deu um xeque mate em seus criticos e encerrou de forma definitiva a polêmica. O humorista, que mora no Leblon, se auto declarou pobre.

Segundo ele, assim como existe a identidade de gênero e raça, pessoas tb podem se declarar de diferentes classes sociais independentemente da renda que possuam. Basta o indivíduo se identificar como pobre para poder se auto declarar como tal.

A professora de sexologia dialética, Luciana Lurdes Loiola, explicou a nosso jornalismo destemido os princípios filosóficos por trás da atitude inusitada de Gregório Duvivier :

” Na verdade, nao existe qualquer relaçao entre a quantidade de dinheiro que um individuo possui e sua classe social. “

E continua: “O que define se um individuo é rico ou pobre é sua consciencia de classe. Infelizmente, assim como havia muito preconceito quando um indivíduo albino se declarava negro, haverá tb uma certa relutância da sociedade ao ver um indivíduo multi milionário se declarando abaixo da linha de pobreza. ”

Duvivier disse não se intimidar perante a onda conservadora e que não abrirá mão de sua pobreza só por ter muito dinheiro.

Depois de Duvivier, muitos outros membros da esquerda também se declararam como pobres.

Destaque para o membro do PSOL, Tarcísio Motta, que se auto declarou como vítima da fome extrema.

 

  • Escrito por Carlos Eduardo Barros

4 COMMENTS

  1. Você é pobre sim, Duvivier. De criatividade, de caráter. Toma vergonha na cara, imbecil. Piadista de escolinha de primeiro grau. Sem gração. Ridículo. Inteligência pequena e rasa. Que tu passe fome, paspalho. Esse dinheiro meu (e dos demais contribuintes), que trabalho 265 dias por ano – e 366 nos anos bissextos e que foi pro teu bolso, vai acabar um dia. E nem vem se achar melhor do que porque eu trabalho e tu finge. Minha atividade é nobre. Sou médico. Salvo vidas. E terei que salvar a tua um dia desses, apesar de tu não merecer. Mas não me cabe julgar.

  2. Pestistas em polvorosa!
    “Não é só por eu ter essa enorme quantidade de dinheiro que indica que eu não seja pobre!”
    Bastou Duvivaldino, dono do Porta dos Fundos de Aplicação lançar a onda, que petistas como meu vizinho, o TaDeu Venéreo já diz que seus carros blindados são usados pra catar papel reciclável na rua, em pensamento.

  3. BANCADA PROGRESSISTA DO CONGRESSO NACIONAL UNE ESFORÇOS PARA APROVAR UNIÃO CIVIL ENTRE MAMÍFEROS EM GERAL E SERES HUMANOS.

    Segundo apurado pelo jornal, um grupo bastante amplo do Congresso, liderado por Jean Wyllys, Maria do Rosário e o próprio presidente interino Waldir Maranhão, entregou ontem à apreciação da Casa um projeto de emenda constitucional que deseja incluir no artigo 226 da Constituição como família, além dos casais humanos de quaisquer orientações sexuais, também toda a categoria de mamíferos, animais de “sangue quente”, desde que sejam declarados “parceiros sexuais de humanos”

    Segundo o presidente da câmara, Waldir Maranhão, “o projeto busca aproximar toda a diversidade sexual entre os humanos e os animais evolutivamente mais próximos das pessoas, fazendo com que a Constituição promova a proteção da família assim formada, entre qualquer ser humano e outro mamífero. Assim, a relação animalesco-afetiva estará sob os auspícios da carta magna, abrindo brecha inclusive para que cães, gatos, morcegos e baleias, uma vez comprovada a relação afetiva pela simples declaração do companheiro humano, possam receber herança e benefícios previdenciários em pé de igualdade com outras famílias”

    Questionado o deputado Jean Wyllys, sobre a não inclusão de répteis nas relações animalesco – afetivas, ele explicou que, devido ao preconceito que ainda existe na sociedade acerca dessas uniões, o grupo progressista resolveu por cautela apenas incluir mamíferos, em razão de que incluir répteis e insetos neste primeiro momento poderia prejudicar o andamento da proposta, e aduziu ainda que “quem chora mama”

Deixe uma resposta