BRASÍLIA – Após assumir interinamente a presidência da República, o agora presidente Michel Temer anunciou na noite de hoje, após se reunir com correligionários, que não devolverá o cargo a Dilma Rousseff.

Ela já vai sofrer Impeachment daqui a uns dias e isso polpará o país de perder tempo com esse processo todo”, declarou.

Temer disse também que a medida será benéfica ao erário, uma vez que evitará o pagamento de horas extras para senadores, caso a sessão de julgamento do Impeachment se estenda, como foi o caso da câmara dos deputados.

Na câmara, cada deputado recebeu horas extras e adicional noturno por conta da sessão que varou a noite. Vamos economizar esse dinheiro e investir em educação, saúde e moradia”, afirmou Temer.

O ex-vice presidente já organizou sua mudança da suíte vice-presidencial, localizada no Palácio do Jaburu, para o Palácio da Alvorada, onde se deparou com protestos de integrantes do MST, da CUT e da UNE.

O Diário Oficial da União publicou uma edição extraordinária na noite de hoje, na qual constam alguns decretos assinados por Temer, entre os quais a determinação do imediato retorno do avião presidencial, que se encontra em Nova York, para onde foi transportando Dilma e a comitiva presidencial, com ordem expressa de não trazê-la de volta ao Brasil.

Deixa essa porra lá mesmo”, exclamou Michel Temer, se recusando a responder a indagação se tal medida não seria sacanagem demais.

Deixe uma resposta