Os militantes do Partido Socialismo e Liberdade (sic) Psol, que compareceram ao Diretório Municipal da capital gaúcha tiveram um susto na manhã de hoje, ao se depararem com ferramentas agrícolas acompanhadas de um bilhete recomendando que os mesmos fossem capinar na Venezuela.

O ato foi interpretado por cientistas políticos como uma alusão ao apoio da agremiação ao presidente venezuelano, Nicolás Maduro, que recentemente publicou um decreto prevendo a possibilidade de qualquer cidadão ser convocado para trabalhar na agricultura.

Tomei um susto quando vi essas ferramentas aqui na sede, pois logo vi que tinha algo errado, já que aqui ninguém trabalha na agricultura… na verdade, aqui quase ninguém trabalha”, disse um funcionário que não quis ser identificado.

Em nota, a direção do Psol declarou que, apesar da piada de mau gosto, o partido já está organizando uma caravana de militantes para trabalharem na agricultura venezuelana “para manter a coerência em apoiar Maduro e ajudar a diminuir a fome do povo, que é vítima do imperialismo estadunidense, que está impedindo a chegada de suprimentos ao país”.

A polícia foi acionada pela recepcionista do diretório da legenda e informou que investigaria o caso como terrorismo. A direção do Psol, no entanto, advertiu a funcionária de que a polícia é fascista e nada mais é do que um órgão a serviço da burguesia para reprimir as lutas proletárias.

3 COMMENTS

  1. Isso foi uma agressão a democracia, forçar os outros a trabalharem devem ser punidos com pena capital (da Venezuela).

  2. KKK… “Tomei um susto quando vi essas ferramentas aqui na sede, pois logo vi que tinha algo errado, já que aqui ninguém trabalha na agricultura… na verdade, aqui quase ninguém trabalha”.

Deixe uma resposta