RIO DE JANEIRO – Após sucessivas reclamações por conta da falta de alimentos, os espectadores que compareceram às arenas olímpicas para assistir os jogos foram informados na manhã de hoje que, na verdade, a escassez é uma política adotada pela organização do evento para que venezuelanos se sintam em casa.

Uma de nossas políticas é sempre deixar os atletas e turistas à vontade, servindo-lhes os pratos típicos de seus respectivos países”, disse o porta-voz do Comitê Olímpico Internacional.

Ele exemplificou que, para brasileiros, há opção no cardápio de comida regional e outras iguarias de terrae brasilis.

Mesma coisa para os japoneses, que podem degustar um bom sushi feito por chefs importados diretamente de Tóquio. No caso dos venezuelanos, como lá está faltando comida, achamos que a falta de comida iria fazê-los pensar estar em seu próprio país.”

A organização do evento também informou que, para o caso dos cubanos, será emitida uma cartela que servirá para controlar a quantia de alimentos diários, a exemplo da política de racionamento que acontece na ilha há décadas.

Um ponto polêmico, que tem dividido opiniões, é o cardápio servido para as delegações chinesa e vietnamita.

Ongs que atuam em defesa dos animais criticam o fato de serem servidas carne de cachorro e gato, o que, segundo eles, viola os direitos humanos dos animais.

Sobre este ponto específico, os organizadores declararam que “o cardápio oferecido a cada delegação respeita a cultura de cada país.”

SHARE
Previous articleWaldir Maranhão anula eliminação de Joana Maranhão
Next articleAtiradores olímpicos poderão responder por porte ilegal de arma de fogo
Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Numa classificação, seria um super-herói defensor dos… Defensor de nada, Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser. Além do charme, Joselito Müller é um competente jornalista, pioneiro no jornalismo de ficção brasileiro. Foi eleito três vezes consecutivas como um dos maiores filhos da puta da América Latina, além de ter sido indicado para o Pulitzer de reportagem mais escrota em 2013 e 2014.

1 COMMENT

  1. Concordo com a escassez, a organização esta sendo solidaria com os venezuelanos, afinal de contas somos considerados um povo simpático que a todos recebemos bem e, ao mesmo tempo serve para fomentar o turismo na “venesa” do caribenha divulgando aquela cultura!!! Parabéns!!!

Deixe uma resposta