BRASÍLIA – A votação da Comissão que processará o pedido de Impeachment na câmara dos deputados, que começou pacífica, terminou em tumulto e quebra-quebra na tarde de hoje, quando uma minoria de vândalos infiltrados quebrou algumas urnas.

O quebra-quebra, segundo os deputados do Partido dos Trabalhadores, que protagonizaram a ação delituosa, foi um protesto contra decisão do presidente da câmara, Eduardo Cunha, de determinar votação secreta para eleição das chapas que irão compor a comissão.

De acordo com o blog Radar On-line, da jornalista Vera Magalhães da Veja, “Durante o tumulto, um dos deputados que estimularam a destruição das urnas foi o ex-governador de Mato Grosso do Sul Zeca do PT. “Quebrem as máquinas! Quebrem as máquinas”, gritava o petista.”

Apesar do dano qualificado contra patrimônio público, nenhum dos envolvidos foi preso, já que Suas Excelências só podem ser presas em flagrante delito por crime inafiançável.

7 COMMENTS

  1. Os vândalos não podem ser cassados, pois afinal foram eleitos e se forem cassados é ….Golpe!

  2. Mais uma vez, voces erram e distorcem as noticias.
    A votação iniciou-se tranquila e terminou também tranquila e serena em total e perfeita harmonia entre os exceletissimos deputados.
    Também não houve dano qualificado ao patrimônio público, pois não houve provas do crime.
    Cadê os bens públicos danificados? Não foram apresentados.
    Houve testemunhas do dano praticado? Não, pois não foram arrolados nenhuma testemunha, devido o fato alegado ter ocorrido em horário de almoço e os nobres deputados estarem ausentes.

Deixe uma resposta