BRASÍLIA – Os sucessivos escândalos de corrupção que têm assolado o país, provocando revolta nos setores da sociedade brasileira que não são compostos por ladrões, vêm suscitando frequentes atos de hostilidade contra figuras do cenário político.

Depois de Guido Mantega, ex-ministro da fazenda, ser “agredido” em um restaurante, ocasião em que um popular popular porra nenhuma, já que era de classe média, provavelmente de direita libela-fascista o acusou, de modo infundado, de ter quebrado o país, a mais nova vítima dos ataques reacionários foi a nossa querida Graça Foster.

A cena, deveras muito semelhante à aludida no parágrafo acima, se deu no interior de um restaurante de classe média em São Paulo, capital, quando um homem ainda não identificado passou a proferir xingamentos contra a ex-presidente da Petrobrás, tais como “corrupta, que deveria estar fazendo companhia ao Cerveró etc”.

Relevando a ignorância do agressor, que não sabe que mulher e homem não podem ficar no mesmo estabelecimento prisional, o que mais chamou a atenção dos presentes foi o fato de, em verdade, o destinatário das ofensas não ser a verdadeira Graça Foster, mas sim um cover do Ozzy Ousborne.

“O cara começou a xingar, chamando a Graça Foster de petista, mas quando ela se virou, na verdade era um cara”, explicou o gerente do restaurante.

A confusão só teve fim quando o rapaz que estava sendo ofendido explicou o que se passava e começou a cantar um trecho de “Diary of a Madman”.

“O cara cantava igualzinho o Ozzy, mas caralho, daria mais certo se ele fizesse cover da Graça Foster mesmo, porque era bem parecido”, disse o dono do restaurante, que estuda a possibilidade de contratar o artista para se apresentar em seu estabelecimento.

 

  • Sugerido por Alexandre Fagundes Souto
SHARE
Previous articleHomem com hemorróidas contesta Sidney Magal: não sou gay e nem bissexual
Next articleCollor diz ter usado Elba para dar entrada na Lamborghini
Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Numa classificação, seria um super-herói defensor dos… Defensor de nada, Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser. Além do charme, Joselito Müller é um competente jornalista, pioneiro no jornalismo de ficção brasileiro. Foi eleito três vezes consecutivas como um dos maiores filhos da puta da América Latina, além de ter sido indicado para o Pulitzer de reportagem mais escrota em 2013 e 2014.

Deixe uma resposta