Os assustadores casos de violência contra a mulher têm provocado o debate em várias esferas do poder Brasil a fora.

Preocupados em prevenir esse tipo de violência, que pode ser física, emocional, psicológica, simbólica e econômica, parlamentares formaram uma comissão e apresentaram uma proposta que pretender evitar que, além da violência corriqueira, aconteçam casos de canibalismo vitimando mulheres.

“Criminalizar o ato de comer mulher certamente vai coibir eventuais casos de canibalismo e essa é nossa intenção principal”, declarou um dos autores da proposta.

A proposta, assim que foi divulgada, foi mal interpretada por diversos setores, que a primeiro momento se manifestaram contra, mas após esclarecimento passaram a apoiá-la.

“Pensei que o verbo ‘ comer’ era em outro sentido, por isso me manifestei contra, a não ser após o casamento”, informou um deputado da bancada evangélica.

O projeto incluirá um artigo na chamada Lei Maria da Penha, mas ainda não tem data para ser votado.

10 COMMENTS

  1. Triste é saber que aquele “sensasocialista” tem muito mais visualização que aqui. Parabéns, continuem esse belo trabalho.

  2. Exceto para as lésbicas. Neste caso trata-se de demonstração de homoafetividade.

    • Quando li a notícia de que comer mulher seria crime,fiquei assustado! Porque sou um comedor de mulher (no bom sentido).
      Mais depois de digerir as entre linhas da notícia fiquei tranquilo e poderei continuar comendo minhas mulheres.Que por sinal é muito bom.

  3. Paralelamente deve ser criado na Maria da Penha, um artigo dizendo ser terminantemente proibido que mulheres “mal comidas” se utilizem da Lei para, por vingança, denunciar seus respectivos “canibais” por serem maus “comedores”.

  4. Mas antes de entrar em votação, uma pesquisa já foi encomendada para saber o número exato de mulheres que já foram comidas e nunca denunciaram os seus “canibais”.

Deixe uma resposta