RIO DE JANEIRO – Mais uma polêmica envolvendo atletas olímpicos chamou a atenção da imprensa no dia de hoje.

Após a organização do evento contratar salva-vidas para as provas de natação, policiais especialmente designados para tanto, ficaram responsáveis de verificar se cada atleta do tiro olímpico tinha autorização para portar armas de fogo.

Cumprindo a incumbência, um delegado da polícia civil, que não teve a identidade revelada, interrompeu a prova de tiro desportivo e, após revistar todos os atletas, pediu que os mesmos exibissem suas autorizações para portar arma de fogo.

Não importa se estão competindo nas olimpíadas. O art. 14 do Estatuto do Desarmamento diz que é crime porta armas sem autorização legal”, explicou o policial.

O incidente dividiu opinião da platéia, uma vez que o porte de arma no Brasil é crime inafiançável.

Após intervenção dos organizadores do evento, o delegado deu voz de prisão a cinco atletas, que acabaram sendo levados para a delegacia, onde devem prestar depoimento.

Caso sejam condenados, os atletas poderão pegar de 2 a 4 anos de prisão e multa.

Deixe uma resposta