RIO DE JANEIRO – Uma reviravolta inesperada na disputa eleitoral pela prefeitura do Rio de Janeiro surpreendeu o eleitorado na manhã de hoje.

Após a revista Veja publicar foto do candidato Marcelo Crivella preso no DOI-CODI durante a ditadura do general Fernando Collor, fato este que até então era omitido pelo candidato do PRB, Marcelo Freixo, que era seu concorrente na corrida pela prefeitura, anunciou sua renúncia à disputa para apoiá-lo.

Após a divulgação, Crivella adotou uma imagem e slogan de campanha semelhantes ao da então candidata Dilma Rousseff, o que tem atraído apoios até então improváveis.

Eu particularmente desconhecia esse passado de preso político do Crivella, mas agora que tomei conhecimento, acho justo abandonar a disputa e apoiar esse guerreiro do povo brasileiro”, disse Freixo.

Apesar da revelação, Crivella anunciou, por meio de sua assessoria, que não pretende pedir indenização com base na Lei de Anistia.

A revista Veja, por sua vez, declarou que obteve a fotografia graças ao trabalho da Comissão da Verdade, que revelou que Crivella havia sido preso, acusado de subversão, por distribuir panfletos na porta de sindicatos contra o confisco das cadernetas de poupança durante os anos de chumbo, em que o Brasil foi presidido por Collor.

Ele foi enquadrado na Lei de Segurança Nacional, mas acabou solto anos mais tarde, havendo se exilado na África, onde se tornou pastor da Igreja Universal do Reino de Deus.

2 COMMENTS

  1. Piada, é ver muitos aí , comentar, e acreditar nisso, ñ tem cabimento, e por isso que o país está nesta merda, as redes sociais, a miúda, induz, e o povo vai…….

  2. Mesmo assim esse “pastor/bispo” do supermercado da fé: reino do deus macedo segundo a tv Goebbels ou grobo ou globosta, já está “eleito” o interessante seria se os cariocas decepciona-se a vênus platinada, elegessem o freixo que trocando um pelo outro é do mesmo valor, como dizem os economistas de Havard ou da baixada fluminense: trocar meia dúzia por seis ou seis por meia dúzia!

Deixe uma resposta