BRASÍLIA – A prisão do ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Paulo Bernardo, esposo da senadora petista Gleisi Hoffmann, criou um transtorno incomensurável no sistema prisional brasiliense na manhã de hoje.

Revoltados com mais um petista preso, detentos ligados ao Primeiro Comando da Capital – PCC, fizeram uma “rebelião de advertência” na manhã de hoje, mediante alegação de que, com a prisão do ex-ministro, o PT passa ser maior que o PCC nos presídios da capital federal.

Éramos a maior organização criminosa nos presídios até ontem, mas com a prisão de Paulo Bernardo, o PT ficou maior que nós”, lamentou um dos líderes da rebelião.

O ex-ministro foi preso na 18ª fase da Operação Lava Jato e com isso passou a ser mais um “guerreiro do povo brasileiro”, ao lado de Dirceu, Genoíno, Delúbio e outros.

1 COMMENT

Deixe uma resposta