NOVA YORK – O presidente da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, foi preso no início da tarde de hoje por ordem do juiz federal Sérgio Moro, mediante fundamento de que ele estaria “obstruindo o trabalho da justiça brasileira”

O decreto prisional foi expedido após divulgação de notícia segundo a qual a ONU teria aceitado examinar pedido remetido pelo ex-presidente Lula, que alega estar sendo perseguido pelo magistrado.

A decisão que decretou a prisão de Ban Ki-moon foi proferida atendendo um pedido do ministério público federal, que alegou que “a postura da ONU, ao admitir o pedido do ex-presidente Lula, visa embaraçar os trabalhos da justiça brasileira, especificamente no âmbito da Operação Lava-Jato”.

O decreto prisional se fundamentou no art. 312 do Código de Processo Penal, invocando a necessidade de segregação cautelar sob fundamento de conveniência da instrução criminal.

Poucas horas após ser preso, Ban Ki-moon deu entrevista na qual esclareceu que não admitiu o pedido de Lula, mas apenas o recebeu mediante protocolo.

Veja aqui a notícia.

Com o esclarecimento da situação, a prisão preventiva do presidente da ONU foi convertida em medida cautelar diversa da prisão, mediante imposição de condições, tais como não frequentar bares e casas de prostituição, e comunicar ao juízo sempre que precisar se ausentar da comarca por prazo superior a sete dias.

Deixe uma resposta