JALES/SP – A morte de um ex-vereador da cidade de Jales, São Paulo, em decorrência de uma canetada perpetrada por seu advogado, comoveu o país e suscitou a apresentação de um projeto de lei, de autoria coletiva de membros da chamada “bancada da paz”, que prevê a criminalização do porte de canetas.

Segundo os autores da proposta, “o episódio ocorrido em Jales serviu para alertar sobre as milhares de mortes que acontecem no Brasil todos os anos pelo uso indevido de canetas”.

Junto com o projeto de lei, foi apresentado um estudo que demonstra o número alarmante de crianças que se engasgam com canetas anualmente no Brasil, bem como a quantidade de pessoas que já sofreram agressões a golpes de caneta.

É assustador”, declarou um deputado.

O advogado que protagonizou o fato que deu origem à discussão, foi preso em flagrante e alegou que estava se defendendo.

Ele tentou me agredir e eu me defendi, afinal, a caneta é a principal arma do advogado.”

SHARE
Previous articleJandira Feghalli diz que gastou dinheiro que ganhou com propinas comprando livros de Karl Marx
Next articleTemer corta recurso para fã clube oficial de Dilma
Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Numa classificação, seria um super-herói defensor dos… Defensor de nada, Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser. Além do charme, Joselito Müller é um competente jornalista, pioneiro no jornalismo de ficção brasileiro. Foi eleito três vezes consecutivas como um dos maiores filhos da puta da América Latina, além de ter sido indicado para o Pulitzer de reportagem mais escrota em 2013 e 2014.

Deixe uma resposta