ATENAS – Após renunciar ao cargo de primeiro ministro da Grécia, Alexis Tsipras anunciou que pretende disputar a presidência do Brasil nas eleições de 2018.

Tsipras disse que tomou tal decisão ao saber que vários partidos, tais como o PSOL, do deputado Jean Wyllys, ter manifestado apoio ao seu programa para a economia grega que, segundo ele, “por motivos alheios à minha vontade, não pode ser implementado.”

O governo liderado por Tsipras, que outrora despertou gritinhos de alegria de políticos de esquerda em todo o planeta, sobretudo no Brasil, foi marcado por controvérsias e porralouquices.

Entre as mesmas, está o compromisso assumido na campanha eleitoral de recusar o chamado pacote de austeridade, proposta pela União Européia.

Após realização de um plebiscito sobre o tema, no qual o partido de Tsipras pretendia perder e, desse modo, justificar o descumprimento de sua promessa, os correligionários do então primeiro ministro amargaram a vitória de sua proposta de campanha, o que os obrigou a ignorarem o resultado das urnas e aceitar o tal pacote.

A medida adotada pelo governo grego deixou muitos esquerdistas brasileiros com uma verdadeira cara de cu, haja vista os mesmos terem comemorado o resultado do plebiscito que disse não ao pacote de austeridade.

Vendo seus planos fracassarem, Tsipras renunciou esta semana ao cargo de primeiro ministro, mas ainda assim recebeu mensagens de apoio de políticos brasileiros, como Luciana Genro, por exemplo, que elogiou a renúncia, afirmando que a mesma fará com que Tsipras retorne fortalecido ao governo.

“Já fiz muita merda aqui na Grécia e ainda tem gente me elogiando no Brasil. Puta merda! Vou me candidatar à presidência desse país tropical, já que lá estou com essa bola toda.”, escreveu Tsipras numa rede social.

A notícia foi bem recebida por várias lideranças do PSOL, que já cogitam a possibilidade de compor uma chapa com o ex premier grego.

SHARE
Previous articleMichel Temer foi visto ouvindo discos da Xuxa ao contrario mas nega Satanismo
Next articleLula propõe descriminalização do tráfico
Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Numa classificação, seria um super-herói defensor dos… Defensor de nada, Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser. Além do charme, Joselito Müller é um competente jornalista, pioneiro no jornalismo de ficção brasileiro. Foi eleito três vezes consecutivas como um dos maiores filhos da puta da América Latina, além de ter sido indicado para o Pulitzer de reportagem mais escrota em 2013 e 2014.

6 COMMENTS

  1. São Paulo, 9 de outubro de 2.015

    Prezado Joselito Muller,

    Acaso esquerdistas com cara de cu não seria pleonasmo? Veja as ilustres parlamentares que professam essa ideologia…

  2. “Após realização de um plebiscito sobre o tema, no qual o partido de Tsipras pretendia perder e, desse modo, justificar o descumprimento de sua promessa, os correligionários do então primeiro ministro amargaram a vitória de sua proposta de campanha, o que os obrigou a ignorarem o resultado das urnas e aceitar o tal pacote.” Análise PERFEITA do Joselito.

    • O pior é que os “analistas” falam e não dizem nada. Somente o jornalismo-verdade da zoeira é capaz de entender as coisas como elas são. #olavotemrazao

  3. O Brasil tem um Psol muito lindo,mas muita dificuldades em enganar seu povo em um curto espaço de tempo.Eles não sabem a que custo se mantem uma mentira.Vou abrir meus horizontes, casquinhas de siri e um canal de comunicação com esta galera.

Deixe uma resposta