Imagem

“No! Boiolation; Frescuration, Viadation. Die!”. Estes versos da banda “Massacration” deram causa à uma ação criminal e uma cível ajuizadas pelo deputado Jean Wyllys contra o personagem “Detonator”.

O artista Bruno Sutter, que interpreta o metaleiro,  disse que ficou surpreso ao saber que o personagem está sendo processado.

“Será que o energúmeno do advogado dele não sabe que o Detonator só existe na ficção?”, falou em falsete e deu um murro na mesa, provavelmente incorporando o réu.

Segundo o deputado Jean Wyllys, o ex-integrante do Massacration, a música “Metal is the Law” é “uma celebração retrógrada da sociedade falocêntrica, machista, homfóbica e misógina, onde dar o bumbum é condenável como se fosse crime.”

A canção, que já foi proibida em mais de 200 países, será submetida ao crivo do judiciário, e caso seja considerada preconceituosa, poderá ser proibida de ser tocada em solo brasileiro.

“Essa música é machista, homofóbica e expressa o ódio contra minorias. No clipe, podemos ver claramente o escravo negro maltratando um estudante da USP – ambos ridicularizados por metaleiros fascistas de direita. As cenas evidenciam cárcere privado, violência e negação da homossexualidade. No final, o jovem é morto violentamente por um tiro de bazuca. Não restam dúvidas de que o crime foi motivado por homofobia.” – afirmou o deputado.

Ativistas LGBT também demonstraram repúdio pela música, principalmente nos momentos em que o ex-vocalista da banda declarava versos como:

“No! Boiolation; Frescuration, Viadation. Die! Música eletrônica de Bicha! Pop De Viados; Dance noooooo!!!”

Além disso, há trechos em que o artista faz apologia excessiva ao Heavy Metal desprezando totalmente a ‘identidade de gênero’ da MPB.

Segundo o advogado Rabulino Magarão Cigarro da Silva, “a ação vai ser improcedente, pois o correto seria processar o ator, não o personagem. Mas como nada mais surpreende neste país, caso venha a ser condenado, Detonator poderá pegar até noventa anos de xilindró, lá em Pedrinhas, no Maranhão”.

*Enviado por Anderson G. Silva e ligeiramente modificado por Joselito Müller

1 COMMENT

Deixe uma resposta