SÃO PAULO – Após virar alvo de comentários maldosos por ter tido sua carteira furtada num ato contra o presidente Michel Temer, (os comentários, pra variar, são das mesmas pessoas que tem o hábito de culpar a vítima pelos crimes), o ex-senador Eduardo Suplicy finalmente conseguiu descobrir a identidade do meliante, que na ocasião do delito se encontrava disfarçado de manifestante.

O ex-marido de Marta, no entanto, não conseguiu reaver o bem, uma vez que o afanador, que não teve a identidade revelada, disse que seu ato foi uma “expropriação” e que “só queria socializar”.

O dito cujo declarou que, “por não ser dono de meios de produção, fico à margem daquilo que a classe trabalhadora produz e, como orientou Lenin, decidi ‘expropriar os expropriadores’. Como a carteira tava lá de bobeira, socializei-a.”

Suplicy tentou argumentar, em vão, de que ele também é a favor da justiça social e distribuição de renda, e pediu que ao menos os documentos sejam entregues, já que tirar a segunda via é muito trabalhoso.

Por fim, o autor da subtração consolou o pai de Supla dizendo que o dinheiro que estava na carteira foi todo distribuído para os pobres.

Pelo menos ele fez uma boa ação”, declarou satisfeito Suplicy.

1 COMMENT

  1. Tudo tem limite! O midiático Suplicy sempre fez qualquer coisa para ser notícia. Mas eu não imaginava que ele chegaria ao ponto de insinuar que tem ladrão no PT.

Deixe uma resposta