Vitória – Em pesquisa recente sobre alimentação e saúde, o sal foi apontado como um dos vilões, a frente até de cigarros, amianto e maconha.

A pesquisa foi encomendada pelo Ministério da Saúde, em conjunto com o DataFalha, empresa pertencente ao grupo Falha de SP.

“O Sal mata tanto quanto as armas, e queremos assim tentar diminuir o número de mortes no Brasil por ingestão de sal. Em 2014 foram 68 milhões mortos em todo o país, queremos com essa campanha que o número chegue a zero”, diz a secretaria de assuntos nutricionais do Palácio do Planalto Olivia Niltonjon.

Segundo as estatísticas, o sal nas mesas de restaurantes foi também considerado culpado pela inflação e pelo desemprego. O sal será permitido caso o cliente faça uma reserva no restaurante com 24h de antecedência, e o sal não será permitido nas mesas.

“Esperamos que isso aumente o número de empregos, uma vez que os garços terão que ficar indo e voltando com saleiros pelo restaurante”, diz um especialista do Sindicato dos Garçons filiado a CUT.

O Datafalha rebaeu algumas acusações sobre manipulação dos resultados das pesquisas e se declarou independente, mesmo depois de ter recebido 132 trilhões de dólars em suas contas secretas na Suíça.

Deixe uma resposta