O Diário Oficial da União anunciou na edição de hoje a criação de dois ministérios, bem como a nomeação dos respectivos titulares para comandar cada um.

Trata-se do ministério dos “recursos financeiros auto-surgirvéis” e Ministério das Esposas.

O primeiro tem como função estimular, taxar e gerenciar eventuais recursos financeiros que surjam por si só, sem explicação plausível, algo que, segundo a presidente, tem se tornado comum no país nas últimas décadas.

O segundo visa fomentar políticas públicas para mulheres casadas.

As pastas serão ocupadas pelo filho do ex-presidente Lula, o Lulinha e pela sua mãe, Dona Mariza.

“Sei que muita gente critica meu governo pela quantidade de ministérios, mas isso é uma forma de dar empregos, já que cada ministério desse tem vários cargos. Se não tivéssemos esses ministérios todos, o desemprego estaria maior”, declarou a presidente Dilma Rousseff.

Apesar da declaração, Dilma reconhece que talvez necessite reduzir o número de ministros e estuda a possibilidade de criar um ministério para planejar a redução do número de ministérios.

A oposição criticou a nomeação do filho e da esposa do ex-presidente Lula, alegando que se trata de uma manobra para evitar que o processo ajuizado contra eles tramite na primeira instância.

Com a nomeação, a competência para julgá-los passa a ser do STF.

Em resposta às críticas, Dilma declarou que “Fernando Henrique também tinha ministros no governo dele”.

Deixe uma resposta