Um estudo polêmico divulgado na manhã de hoje causou verdadeiro furor nos meios progressistas, comprometendo a imagem de muitos homens engajados no movimento feminista no Brasil e no Mundo.

Trata-se da pesquisa realizada pelo Departamento de Ciências Sociais e Estudos do Comportamento do ser humano da Universidade Federal de Lapão Roliço, que constatou que um a cada cem homens já fingiu ser progressista para comer feministas.

Segundo a pesquisa, a dissimulação se dá geralmente para criar afinidade e facilitar o xaveco.

“O problema é que muitas feministas, contaminadas pelo machismo da sociedade, acham que homens feministas são gays”, explica o coordenador do estudo.

A revelação irritou movimentos feministas, que chegaram a declarar que “provavelmente quase nenhum homem é verdadeiramente feminista”.

A Associação Brasileira do Homens Feministas, no entanto, alertou para o fato de que muitas mulheres fingem ser feministas para poderem dar para homens que apoiam o feminismo.

Deixe uma resposta